Muita criatividade na hora de comemorar

Estilo de vida e diversificação definem as festas alternativas, uma nova tendência de mercado

Luciana Sotelo

Muita gente tem fugido dos bufês e inovado na hora de cantar o tão sonhado Parabéns a Você. A pedida do momento é celebrar em grande estilo, num ambiente diferenciado, mas sem extrapolar nas cifras. Uma boa opção é fazer um piquenique ao ar livre com os amigos, por exemplo. Com criatividade, também é possível ter uma festinha incrível sem sair de casa. Que tal convidar as pessoas mais queridas para uma noite do pijama? Seja qual for o seu estilo, a tendência é ser original, para não gastar rios de dinheiro e, mesmo assim, viver um momento inesquecível.
A possibilidade de sair do convencional e das caríssimas superproduções motivaram alternativas lúdicas para o apagar da velinha. Imagina que delícia brincar na natureza, com verde ao redor, ar puro e, ainda, revisitar brincadeiras antigas. Esses são alguns dos ingredientes de um belo piquenique. Que tem ainda, como temperos especiais, o pé sujo de terra combinado com o canto dos pássaros, a toalha estendida no chão com muitas frutas e comidas saudáveis para a criançada, literalmente, fazer a festa!
Tal ideia animou a representante comercial Simone Losada Gouveia, mãe da Lavínia, de 5 anos. Reuniu familiares e amigos, e a pequena celebrou sua nova idade no Jardim Botânico Municipal Chico Mendes, no bairro do Bom Retiro, em Santos.
O local é disputadíssimo nos finais de semana; sempre tem um piquenique rolando por lá, afinal, o parque tem 90.000m² e mais de 330 espécies vegetais. É um precioso pedacinho da Mata Atlântica dentro da área urbana, com entrada gratuita.
E se não há gastos com a locação do local, dá para caprichar nos demais itens que compõem a comemoração. Nesse quesito, Simone optou pela contratação de uma empresa especializada para cuidar de toda estrutura necessária para acomodar bem os seus convidados. “Eu queria algo diferente, que fosse bonito e inesquecível. Eu já tinha vivido essa experiência como convidada em outro aniversário e achei fantástico”.
Simone também levou em conta o gosto da filha pela natureza, pelo cuidado com as plantas e animais, ensinamentos adquiridos em casa e, também, na escola de Lavínia, que segue a pedagogia Waldorf. “Ela adora correr e brincar livre, mexer na terra, pular corda e tudo mais que um belo piquenique pode proporcionar. Então, fiz a escolha certa, de acordo com nosso estilo de vida. Estava um dia lindo e a festa foi elogiada por ela e por todos os amiguinhos”, aponta a mãe orgulhosa.
Coube a Lavínia a escolha do tema: Moana. O resto ficou por conta de Natacha Veiga, proprietária de uma empresa que produz e decora festas desse tipo. “No caso do piquenique, a natureza já ajuda e, muito, na decoração, mas é preciso caprichar nos itens decorativos para tornar o clima aconchegante e muito prazeroso”. O importante é a simplicidade e o bom gosto, explica a especialista.
Ela também é mãe e releva que a ideia da empresa nasceu da sua vontade de comemorar os aniversários dos filhos de uma forma mais saudável. Por isso, não hesitou em trocar o cargo de diretora de produção de uma grande agência de publicidade de São Paulo para se dedicar ao projeto. “Para mim, qualidade de vida e amor ao que se faz valem mais do que qualquer coisa”.
Entre os itens que dispõe estão: toalhas, barraquinhas, cestos de vime, futons, mesinhas, guarda-sóis, cadeiras de praia e um cesto com brinquedos de antigamente: peteca; corda; elástico; cavalo de madeira; bola de sabão; vai e vem; bolas; corrida do saco; pipas; pé de lata; entre outros. Tudo feito manualmente pela família da idealizadora. “Buscamos resgatar as brincadeiras manuais (nada eletrônico), tudo para as crianças se divertirem entre si e com os pais, buscando também aumentar a interação entre as famílias”.
A estudante de odontologia Aline Leonhardi Cassiano tinha jardim, em sua casa na Alemanha, e já havia feito festas lá para os filhos. Agora, no Brasil, diz que não abre mão de manter a tradição, mesmo sabendo que dá um trabalhão organizar tudo sozinha. Por isso, também recorreu à empresa de Natacha. “Na Alemanha, esse tipo de comemoração é muito comum. Eu dava conta de pensar e executar tudo. Com a assessoria, eu consigo aproveitar e curtir esse momento mais de perto com o meu filho”.
Além de se sentir em casa, ela conta que a maior satisfação é proporcionar a integração entre as crianças. “Com esses brinquedos educativos, elas brincam entre si e conversam, o que não acontece com os brinquedos eletrônicos e vídeo game”.
Natacha conta que esse tipo de festa populariza-se e sua demanda aumenta. Desde que começou a atuar no ramo, em outubro de 2016, já realizou mais de 70 eventos. “Cuidamos de todos os preparativos, e os pais têm ainda outra vantagem. Eles podem curtir a festa do começo ao fim. Tenho funcionárias treinadas que cuidam da limpeza e também de repor os alimentos”.
Quando a decoração e as brincadeiras estão garantidas, é fundamental também acertar no tipo de guloseima a servir. O melhor é optar por alimentos que não precisam de refrigeração e nem cortes, explica Natacha, que não trabalha com alimentos, mas dá dicas úteis para as mamães de ‘primeira viagem’. “Indico que levem tudo que possa ser degustado sem o apoio de uma mesa, por exemplo: biscoito polvilho, sanduíches leves, minitortinhas de liquidificador, pipoca e frutas já lavadas, que não precisam ser cortadas, como maçã, banana, morango, uva e pera. Para beber, indico suco natural e água. Já para a sobremesa, a boa pedida é apostar nos bolos no pote ou aqueles bolinhos já embrulhados individualmente”.
Ela também recomenda que os pais não esqueçam de levar copos e talheres descartáveis, sacos de lixo para deixar o ambiente limpo após o evento, repelente e protetor solar para o cuidado com as crianças. Com tudo devidamente planejado, é só torcer para que, no dia da festa, o Sol seja o convidado especial no meio da presença maciça dos convidados!

Quando a noite cai a farra começa
Que criança não gosta de levar o amiguinho preferido para dormir em sua casa? É sempre uma festa fazer guerra de travesseiro, sessão de cinema regada a pipoca e chocolate, contação de história, e muitas outras brincadeiras que, certamente, fortalecerão os laços de amizade tão importantes no desenvolvimento infantil. O limite de toda essa farra é apenas o sono.
E que tal dimensionar esse universo lúdico para uma quantidade maior de amigos? Sim, estamos falando de uma festa do pijama, com direito a colchões espalhados, lanternas ligadas e muita conversa ao pé do ouvido. Outra forte tendência para quem quer deixar de lado o circuito das festas em bufês.
Para quem tem habilidade, tempo e paciência, tudo pode ser feito em casa mesmo. Mas para quem não quer ter trabalho, pode incrementar a noite com a ajuda de uma assessoria especializada, que disponibiliza cabanas lúdicas, pijamas e kits personalizados, além de atividades diferenciadas. Gostou? Tudo isso sem sair de casa.
A técnica de enfermagem Karina Lisboa Leite de Melo fez essa surpresa para a filha Giulia, no aniversário de 11 anos. Ela afirma que não queria deixar a data passar em branco, mas, por outro lado, também não queria uma grande festa para muitos convidados. “Eu pensei em algo diferente, mais reservado, somente para as pessoas que realmente faziam parte do convívio dela. Geralmente, em bufê, tudo passa tão rápido, e essa comemoração mais íntima poderia ser mais marcante”.
Foi o que aconteceu. Ela disse que as meninas viram filme, jogaram, lancharam e conversaram para valer. A noite especial foi pensada para seis meninas, e ela contratou uma empresa especializada para dar conta do recado. “Ficamos encantadas com a riqueza dos detalhes, o capricho das cabanas e a beleza do ambiente. Um verdadeiro sonho”.
Na ocasião, ela investiu também em pijamas personalizados para todas as convidadas, além de uma nécessaire com um kit de higiene pessoal. “Tudo a ver com esse tipo de evento. E fechamos a festança com chave de ouro, com um delicioso café da manhã. Até hoje todas lembram com carinho desse momento. Ficou na memória, com certeza”.
Fernanda Rivetti de Azevedo foi a responsável pelo sucesso da festa. A empresa dela oferece elementos de sua própria memória afetiva, como a locação das cabanas, dos colchonetes, decoração com luzes, tapetes, vasos de plantas, lanternas de chão e muitos outros mimos que deixam a noite inesquecível. Também dispõe de itens personalizados como mochilas, almofadas, chinelos e toalhas, que são produzidos conforme o tema escolhido e serve como lembrancinha para os convidados levarem para casa.
No mercado há pouco mais de um ano, ela já planejou e executou 28 contratos. E ressalta o bom resultado: “Esse tipo de festa está se tornando uma constante, porque tem todos os atrativos de uma convencional, porém, o custo pode ser menor, pois se trata de um investimento superfocado. “É um momento da criança, apenas com os melhores amigos. Não é uma festa para muitas pessoas. É uma ocasião muito especial restrita aos mais chegados”.
Ela explica quais são as características de uma festa do pijama. “Todos os participantes têm que estar trajando pijama, obrigatoriamente. Eles fazem diversas atividades e, ao final, dormem juntos. É uma festa que contempla alimentação, diversão e estrutura para acomodação”.
Para alegrar a programação, Fernanda oferece monitores que cuidam do entretenimento. As atividades ficam à escolha do freguês: contação de história, releitura de brincadeiras antigas e oficinas criativas com temáticas variadas.
A festa do pijama não precisa, necessariamente, ser feita em casa, ela pode ser montada em garagens fechadas, salões de festas, coberturas ou qualquer outro cômodo espaçoso, coberto e seguro. “Minhas cabanas são amplas, para duas crianças; cada uma tem 1,50 metro de largura por 1,60 metro de altura. Faço visita técnica para checar se o espaço disponível é viável”.
Ao cair da noite, as travessuras e os papos mais secretos surgem na roda e deixam toda comemoração ainda mais incrível.

Related News

Comments are closed

Revista Beach&co