Jacquard

Jacquard é um dos tecidos mais bonitos que encontramos no vestuário. Além da beleza de seus desenhos, é também o nome dado a padronagens de entrelaçamento do fio na construção do tecido. Dizemos, popularmente, que para saber se uma peça é um jacquard, basta olharmos o avesso; se nesse estiver, também, o desenho da estampa tão nítido quanto o verso, então sim, é um jacquard.

O tecido tem esse nome em homenagem a Joseph Marie Jacquard, nascido na Inglaterra e filho de tecelões, que, desde criança, tinha a tarefa de ajudar seus pais com os teares. Sua função era alimentar os teares com novelos e linhas coloridos, para formar os desenhos no tecido que estava sendo confeccionado;  a cada segundo, ele tinha que mudar os novelos. Com o tempo, Jacquard percebeu que as mudanças dos novelos e linhas eram sempre sequenciais. Nessa época, ele era adolescente e começou a se sentir incomodado com essa monótona e interminável tarefa, então, ao perceber que a sequência era repetitiva, ele inventou um processo com cartões perfurados, no quais ele poderia registrar, ponto a ponto, o modelo para a confecção do tecido. A partir dessa ideia, ele também criou o tear automático, que lia esses cartões perfurados e era capaz de produzir incríveis tecidos com muita facilidade e velocidade.

A Inglaterra, grande produtora artesanal e de manufaturas, passou a ser  pioneira na Revolução Industrial, com grande concentração de burgueses, livre comércio e ótima localização, próxima ao mar, o que facilitava as exportações e importações.

Logo, a invenção de Jacquard, que acabara de nascer, chamou muita atenção desses grandes empresários que constituíam uma nova era, a era da Revolução Industrial. E, assim que descobriram esse tear incrível, compraram os direitos do uso e a reproduziram pela Inglaterra inteira.

Além de todo o maquinário que a grandes indústrias possuíam, a máquina de tear de Jacquard passou a ser um grande vilão, “forçando” artesões, que antes trabalhavam por conta, a ser empregados dessas fábricas, pois eles tinham a receita de construir o mesmo tecido bem trabalhado, porém, com o dobro da velocidade.

Muito infelizes com o acontecido, por perderam sua liberdade, passaram a trabalhar por horas e ganhavam pouquíssimo; muitos tentaram quebrar esse tear que acabara com suas vidas. Na época, uma peça comum usada pela  população era um sapato chamado sabot;  eles pegavam seus sapatos e jogavam dentro dos teares de jacquard, destruindo-os. Pelo fato de o sapato se chamar sabot, e usado também para esse feito, o nome originou o termo sabotagem, que usamos até hoje.

Assim, vemos como a moda está conectada com tudo que acontece, tanto em curiosidades, momentos históricos e até evoluções tecnológicas. Mais que um show nas passarelas, mais que um lindo look, moda é cultura, é conhecimento.

Related News

Comments are closed

Revista Beach&co